16 janeiro, 2007

(...)
preferiu sempre a seta que desaparece
ao nome breve que se guarda

José Tolentino Mendonça, “A que Distância Deixaste o Coração”

Um comentário:

Steffania disse...

li o outro e cheguei até aqui.

gostei.

,*