21 janeiro, 2017









































CT, Cardo à noite sobre pintura,  janeiro 2017

Um comentário:

Frederico Mira George disse...

As fotografias que ao longo destes anos foste fazendo; o registo de um universo tão pessoal em que, como a fotografia deve ser, não se assume o papel do caçador à procura de pitorescos, mas se é sensível ao que está, discretamente, ao lado, forma um corpo de imagens belíssimas. Muito próximas da pintura. Contra-naturalistas. Fui guardando uma memória continuada dessas fotografias. Das que me lembro, se não todas, a esmagadora maioria, foram feitas de dia. Há nesse conjunto uma presença solar, espelho directo de um quotidiano diurno. Este regresso à intimidade fotográfica dos objectos "em redor" inaugura uma presença lunar. A noite. Um cardo nocturno.